5G: Nova tecnologia já é comercializada em nove países da União Europeia

2020-01-13
Fonte: Expresso
Foto por: Largo Polacsek de Pexels

A tecnologia móvel de quinta geração (5G) já é disponibilizada, de forma comercial, em nove Estados-membros da União Europeia (UE), e Portugal não integra a lista, segundo dados divulgados em Bruxelas.

De acordo com o Observatório Europeu para o 5G, estrutura criada em 2018 pela Comissão Europeia, o 5G já é comercializado na Alemanha, Áustria, Finlândia, Irlanda, Itália, Espanha, Estónia, Reino Unido e Roménia.
Aquele observatório explica que, "desde o lançamento dos primeiros serviços comerciais 5G no final de 2018, muitas redes e [outros] serviços comerciais 5G surgiram na Europa". Ao todo, são agora 15 as operadoras que já disponibilizam redes 5G nestes nove Estados-membros.
Destes países, só o Reino Unido dispõe de 5G comercializado por todas as operadoras ali presentes, sendo que na Áustria, Alemanha, Irlanda, Itália e Roménia esta tecnologia é disponibilizada por duas ou mais empresas.
A última operadora a comercializar o 5G nestes nove países foi a Orange na Roménia em outubro de 2019, precisa o Observatório Europeu.
Em média, neste momento, um em cada três Estados-membros já dispõe de serviços comerciais de 5G, mas Portugal ainda não figura da lista.
Enquanto as principais operadoras em Portugal - NOS, Altice e Vodafone - têm vindo a culpar a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) por demoras nos desenvolvimentos do 5G, por ser esta a entidade responsável por criar planos nacionais, o regulador e o Governo têm vindo a rejeitar as críticas, garantindo não haver "atrasos substantivos".
O 5G é a quinta geração de rede móvel e vem suceder ao 1G (criado em 1980), ao 2G (de 1990), ao 3G (de 2000) e ao 4G (de 2010).
O que se espera é que, com o 5G, se chegue a uma velocidade de, pelo menos, 10 Gbps por segundo, permitindo a conexão de dados ilimitados em qualquer lado, a qualquer altura e em qualquer formato.
Neste novo padrão da banda larga sem fios haverá, então, mais velocidade, maior cobertura e mais recursos.
A nova infraestrutura, ainda em desenvolvimento na maior parte dos países da UE, será 100 vezes mais rápida do que a anterior, podendo chegar inclusive a 20 Gbps. Isto torna, por exemplo, as tarefas mais velozes, com o 'download' de um filme com um gigabyte a poder demorar menos de 10 segundos.

Janeiro 2020

 

Bookmark and Share