Negócio de conteúdos da Apple é do tamanho de dois Netflixes

2018-05-07
Fonte: Shifter
Foto por: Apple

A tecnológica da maçã fez 9,2 mil milhões de dólares com o iTunes, Apple Music, iCloud e App Store.

Quem o diz é o Quartz, que fez uma comparação interessante entre o negócio de conteúdos da Apple e o do Netflix, tendo em conta dados do primeiro trimestre de 2018. Com as vendas de música e filmes do iTunes, as subscrições do Apple Music e iCloud, as apps e jogos da App Store, a tecnológica da maçã gerou 9,2 mil milhões de dólares – mais do dobro das vendas do Netflix no mesmo período (3,7 mil milhões de dólares).
Esta evidência é interessante. Por vezes, associamos a Apple ao hardware – os iPhones, iPads, Macs… que vende – e, apesar deste ser o seu principal negócio e fonte de receita, não é o único. O iTunes, o Apple Music, o iCloud e a App Store integram aquilo a que a Apple chama de “Services” e valorizam os equipamentos que a marca da maçã comercializa, criando um ecossistema mais forte
Os “Services” da Apple cresceram substancialmente ao longo de cinco trimestres consecutivos, sendo atualmente o segundo maior negócio da empresa a seguir ao iPhone. No ano passado, os conteúdos resultaram em cerca de 33,5 mil milhões de dólares em receitas para a Apple – no mesmo período, o Netflix captou 12,8 mil milhões.
Já o negócio do Netflix é sobretudo de conteúdos, uma vez que se trata de um serviço de streaming de séries e filmes por subscrição. A Apple não se tem metido no campo do Netflix, apesar de a tecnológica já ter distribuído dois pequenos programas através do Apple Music – o Planet Of Apps, uma espécie de “Shark Tank” para aplicações; e o Carpool Karaooke, que nasceu da rubrica de James Corden do The Late Late Show. Contudo, recentemente a Apple contratou parte das equipas que produziram as séries Breaking Bad e The Crown, e começou a negociar com a HBO os direitos para o novo conteúdo do realizador de Star Wars, J.J. Abrams.

Maio 2018

Bookmark and Share