Infrasat rentabiliza satélite

2017-07-12
Fonte: Jornal de Angola
Foto por: Infrasat

Uma sociedade pública e privada vai gerir e vender as capacidades do satélite angolano no mercado interno e externo, nos países situados na zona de influência do projeto que vai da África do Sul à Europa, afirmou no passado dia 9 de Junho o Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação.

O projeto de Despacho Presidencial que autoriza a constituição da sociedade comercial Infrasat - Telecomunicações foi ontem apreciado na reunião das Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros e resulta da reestruturação da Angola Telecom. O objetivo é também conferir maior dinâmica e eficiência à gestão da empresa pública de telecomunicações.
Em declarações à imprensa no final da reunião das Comissões Económica e para a Economia Real do Conselho de Ministros, o Ministro José Carvalho da Rocha garantiu que o satélite, que está agora em fase de testes na Rússia, vai ser colocado em órbita ainda este ano. Após o lançamento, as operadoras de telecomunicações vão observar uma redução nos custos de operacionalidade. O satélite, que está a ser construído há três anos na Rússia, vai ter um tempo de 15 anos de vida útil.
Angola é o quarto país africano a entrar para a indústria espacial, depois da África do Sul, Nigéria e Egipto. Além de transferir a tecnologia espacial, o satélite vai garantir a Info-inclusão, desenvolvimento científico e tecnológico, além de gerar receitas, criação de infraestruturas, emprego direto e indireto.
Enquadrado no Programa Espacial Nacional, o projeto conta com um centro de controlo e missão, localizado na Funda, que vai controlar e processar os dados. Para a gestão, 60 engenheiros estão a receber formação na Rússia.
Os técnicos têm certificação internacional para operar em qualquer parte do mundo. No comunicado final da reunião, as comissões aprovaram, no âmbito das políticas fiscal, monetária e cambial, o balanço do plano de caixa de abril, cujas despesas foram executadas em 82 por cento do montante programado, bem como a proposta do plano de caixa para este mês, que contém a projeção referente às entradas e saídas dos recursos financeiros do mesmo período.
Na reunião, orientada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, os membros apreciaram também o Relatório de Execução da Estratégia de Pagamento da Dívida, a proposta de Aviso sobre o Regime Cambial de Exportação de Mercadorias, visando a promoção das exportações, no atual contexto macroeconómico, e o relatório de balanço da execução do Orçamento Geral do Estado, referente ao primeiro trimestre deste ano.
Outro documento apreciado ontem é o Relatório de Desempenho da Receita Tributária, também referente ao mesmo período, e que espelha o comportamento da receita tributária e do comércio externo, além do memorando sobre a responsabilidade fiscal dos gestores públicos na execução do Orçamento Geral do Estado.
As comissões apreciaram ainda o Projeto de Decreto Presidencial que aprova o Regulamento das Cooperativas do Ramo Agrário, enquadrada na Lei das Cooperativas. O documento tem por objetivo criar condições para o desenvolvimento deste sector e melhorar o ambiente institucional, por forma a promover o surgimento de cooperativas do ramo agrário rentáveis e sustentáveis.
As comissões analisaram ainda a proposta de Contrato de Concessão do serviço público de inspeção, fiscalização e gestão centralizada dos processos aduaneiros, a ser celebrado entre a Administração Geral Tributária (AGT) e a empresa de direito angolano Fiscaportos, e aprovaram o Estatuto Orgânico da Clínica Multiperfil.
A composição do Conselho de Administração passa a ser integrada por Manuel Filipe Dias dos Santos, como PCA, Ernestina da Conceição Pereira dos Santos Sabugosa Van-Dúnem, Carlos Alberto Teixeira de Alva Sequeira Bragança, Anacleto Albertino da Costa Alves Teixeira e Cândido Sátiro Abílio, todos administradores executivos. Yamba Garcia e João da Conceição Afonso são não executivos.

Junho 2017

 

Bookmark and Share