“Mudança e Estratégia para o Futuro” das Comunicações no Pós-COVID-19

2020-06-07
Fonte: AICEP
Foto por: AICEP

A Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP) e a multinacional de telecomunicações angolana, Angola Cables, juntaram-se para a realização de eventos e webinars com a finalidade de debater a “Mudança e Estratégia para o Futuro” das Comunicações no Pós-COVID-19, sendo os subtemas das várias conferências a realizar nos próximos cinco meses relacionados com os grandes desafios para o setor das comunicações, designadamente lusófono, não só os que já tinha antes da pandemia causada pela COVID-19, a nível global, mas também os agora decorrentes da mesma.

A primeira conferência deste Ciclo de Conferências foi subordinada ao tema “Covid-19: Novos Desafios para o Sector de Comunicações” e realizou-se no passado dia 4 de Junho, pelas 10H00 do Brasil; 14H00 de Angola e Portugal; 12H00 de Cabo Verde; 13H00 de São Tomé e Príncipe; 15H00 de Moçambique; 21H00 de Macau e 22H00 de Timor-Leste e, moderada por Kussy Eugénio (Editor-Chefe do jornal na TV Zimbo), teve como oradores: António Nunes (Presidente Executivo da Angola Cables); Américo Muchanga (Presidente do Conselho de Administração da ARECOM - Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique); Alcino Lavrador (Presidente Executivo da Altice Labs) e Inoweze Ferreira (Diretor-Geral e Administrador Executivo da Unitel T+ de Cabo Verde e da Unitel de STP).
Os mais de 200 participantes que assistiram em todo o mundo a esta conferência, puderam, desta forma, ver e ouvir os referidos oradores a partilhar a sua visão e as suas reflexões sobre o impacto que a pandemia provocada pelo coronavírus está a ter nas atividades das suas organizações; sobre como estão a encarar esses desafios e como estão já a preparar o trabalho de regresso a uma nova normalidade, dando assim o seu contributo para o renascer de um mundo (das comunicações) ainda mais forte, resiliente e capaz de satisfazer as necessidades sempre e cada vez mais exigentes dos respetivos mercados e clientes.
Antes desta crise pandémica à escala global o mundo já estava a mudar a um ritmo muito acelerado, mas todos os oradores concordaram que esta pandemia veio acelerar ainda mais esse processo e que a transformação digital agora ainda mais acelerada está a afetar transversalmente a sociedade, independentemente das geografias, tendo impacto na vida das pessoas em todas as suas dimensões (no trabalho, no lazer, na vida pessoal) e também na forma de estar das organizações, facilitando a inovação, possibilitando uma completa revolução nos processos instaurados e trazendo ganhos de eficiência. Para além, naturalmente, do impacto nas (novas) formas de trabalho (nómadas digitais e teletrabalho).
Neste muito dinâmico e participativo debate, todos tiveram também a oportunidade de ouvir o Presidente da Direção da AICEP, João Caboz Santana, referir, na abertura desta conferência, que “o nosso setor já por si com uma evolução algo imprevisível em face do surgimento permanente de novas e melhores tecnologias, tornou-se agora ainda mais imprevisível. Mas sabemos já algumas coisas: que vamos todos sair desta crise, mais fortes e resilientes; que não o conseguiremos sozinhos, sendo fator crítico de sucesso para esse objetivo uma grande e permanente cooperação entre todos (operadores, reguladores e clientes consumidores), pois só juntos seremos mais fortes, iremos longe e faremos o mundo avançar e superar esta crise; que o mundo, organizações e pessoas que nele trabalhamos e habitamos, não vamos continuar a viver e a trabalhar da mesma forma como antes desta pandemia e que o nosso setor, o setor das comunicações, demonstrou ser, como de resto já o era antes desta pandemia, o grande motor que faz funcionar o mundo e as vidas de todos nós” e em que “as nossas organizações e todos os nossos colaboradores têm heroica e corajosamente estado a manter a vida a acontecer; a garantir que as economias continuam a funcionar; na linha da frente a prestar ininterruptamente serviços essenciais às populações, a aproximá-las e a mantê-las juntas nestes tempos inéditos e duros de confinamento e separação.”
A próxima conferência deste Ciclo de Conferências realizar-se-á no próximo dia 15 de julho, nos mesmos horários lusófonos.

Junho 2020

Bookmark and Share