Correios do Brasil escolhe três novos Diretores

2019-09-08
Fonte: Época/ Correios do Brasil
Foto por: ECT - Correios do Brasil

O presidente dos Correios, general Floriano Peixoto, escolheu três novos diretores.
Celso Tiago, também general, assumirá a Diretoria de Compliance. Lorenzo Cuadros será o Diretor Financeiro. Danilo Cezar Aguiar de Souza foi o escolhido para a Diretoria de Administração.

Os nomes foram aprovados pelo Conselho de Administração da estatal. Tiago e Cuadros tomaram posse no passado dia 21 de agosto. Quatro dos seis diretores já foram modificados por Floriano Peixoto, que assumiu os Correios há dois meses.
A estatal afirma que as exonerações foram todas feitas a pedido de cada dirigente. Mas nos corredores da empresa os funcionários dizem que as mudanças têm relação com o processo de privatização da empresa.

Caixa postal comunitária leva cidadania a comunidades isoladas
Quando uma comunidade surge, a falta de ordenamento urbano gera uma série de problemas aos moradores desses locais: como, por exemplo, a falta de um endereço oficial.
Além de inviabilizar o recebimento de correspondências, a falta de um endereço com CEP impossibilita a realização de cadastros, matrículas em escolas e acesso a serviços públicos que exijam comprovante de residência. Ou seja, inviabiliza o pleno exercício da cidadania dessa população.
Para solucionar esse problema, os Correios oferecem o serviço de Caixas Postais Comunitárias. Além de oferecer mais qualidade na entrega de correspondências, as caixas postais comunitárias garantem ao cidadão um endereço postal seguro e confiável.
O serviço é semelhante ao de Caixa Postal oferecido nas agências dos Correios, com uma diferença: é gratuito. Os moradores utilizam o endereço do local onde está instalado o módulo de caixa postal, informando como complemento o número das respetivas caixas individuais. O carteiro deposita as correspondências nas caixas e os moradores fazem a retirada, abrindo o compartimento, que é trancado com chave.
A gestão é compartilhada com a comunidade. Normalmente, os Correios celebram contrato com a associação de moradores local, que se responsabiliza pela limpeza e segurança do módulo, bem como pela correta e exclusiva utilização das caixas postais pelos moradores da área atendida.
As caixas postais, por sua vez, são fornecidas pelos Correios, que passam a garantir também a entrega regular das cartas no módulo.
Um CEP para chamar de seu
A comunidade do Residencial Ribeira, em São Luís (MA), há um mês, foi contemplada com o serviço. O condomínio, entregue há 4 anos pelo Programa Minha Casa Minha Vida, possui 3 mil habitações. Ainda sem CEP e, consequentemente, sem distribuição domiciliária, os moradores tinham que se deslocar até a agência dos Correios mais próxima, a 15 km de distância.
Para o diretor da Associação de Moradores do Residencial Ribeira, Padre Luís Carlos, a instalação das caixas postais simboliza um grande avanço para a comunidade. “Antes, acabávamos perdendo as correspondências pois nem sempre podíamos ir buscar. Agora, além de facilitar a logística, com a caixa postal comunitária temos um comprovante de endereço com CEP”, conta Luís Carlos.
Importa Fácil Ciência dos Correios incentiva pesquisa no Brasil
O médico ginecologista Renato Teixeira Souza dedica sua vida académica a pesquisas na área de saúde materna e perinatal. Para avançar em suas descobertas, encontrou nos Correios um grande aliado.
O serviço Importa Fácil Ciência, criado pela estatal há 15 anos, ajuda pesquisadores e entidades de pesquisa a importar máquinas, equipamentos, insumos e instrumentos para trabalhos científicos e tecnológicos. O projeto é realizado em parceria com o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), entidade à qual os pesquisadores interessados precisam ser credenciados.
A compra via Importa Fácil Ciência oferece uma série de vantagens. Além da facilidade de comprar produtos no exterior sem sair do país, os custos de importação e desembaraço aduaneiro são reduzidos, com isenção de tributos federais e dispensa do exame de similaridade (que garante benefício fiscal apenas aos produtos que não dispõem de similar nacional).
Utilizamos o Importa Fácil Ciência pela primeira vez em 2015. Os trâmites de desembaraço e a entrega das remessas foram feitos rapidamente. Entre o cadastramento do pedido no sistema e a entrega no destino final foram 6 semanas”, conta o Dr. Renato Souza, que é médico assistente do Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, da Unicamp.
O pesquisador Renato Souza lembra que já realizou mais de dez processos de importação, incluindo os materiais utilizados em sua tese de doutorado. “Buscamos informações sobre o processo de importação e desembaraço aduaneiro por trâmites convencionais e, diante dos prazos médios estimados para finalizar o processo, decidimos optar pelo Importa Fácil Ciência. O prazo e valores são muito mais em conta”, afirma.
De todos as importações realizadas pelos Correios em 2018, 18% foram via Importa Fácil Ciência, totalizando quase R$ 500 mil em valor declarado de mercadorias. “O serviço é, na realidade, uma política pública, uma vez que, atuando como um facilitador da importação desses insumos, ajuda a fomentar a pesquisa científica e tecnológica no Brasil”, argumenta Decio Lima, da Gerência Internacional dos Correios.
Como utilizar o Importa Fácil Ciência
Antes de importar via Importa Fácil Ciência, o pesquisador deve estar ciente sobre algumas restrições do serviço, como o limite de valor aduaneiro de até U$ 10 mil por remessa, limite de peso de até 30kg e limite da soma das dimensões, que não deve ultrapassar 150 cm por pacote. “Além disso, o pesquisador deve verificar se o item de interesse é elegível de importação via Correios, uma vez que alguns produtos, especialmente os que colocam em risco a segurança do transporte ou que necessitem de condições especiais no encaminhamento e armazenamento, como temperaturas controladas, não são aceitos pela empresa”, orienta Decio Lima.
O processo de importação consiste, basicamente, em: solicitar o credenciamento junto ao CNPq; realizar o cadastro do pesquisador ou instituição de pesquisa no sistema Importa Fácil Ciência; solicitar ao exportador a Proforma (uma espécie de orçamento) com detalhes da compra a ser realizada; cadastrar o pedido de Importação no Sistema dos Correios; aguardar o envio do produto ao Brasil pelo vendedor, pagar as taxas e esperar a entrega da encomenda no destino final.
Para auxiliar quem deseja utilizar o Importa Fácil Ciência, Renato Souza, em parceria com o pesquisador José Guilherme Cecatti, criou um tutorial com o passo a passo detalhado de cada etapa do processo de importação. “O tutorial tenta auxiliar os pesquisadores não só sobre os trâmites para cadastramento do pedido no sistema do Importa Fácil Ciência, mas também sobre outros passos desse processo de importação”, conta. O tutorial está disponível no site da Unicamp.
Outras modalidades de importação
Devido ao sucesso do Importa Fácil Ciência, os Correios criaram outras modalidades do serviço: o Importa Fácil Pessoa Física e o Importa Fácil Pessoa Jurídica. A principal diferença entre eles, em comparação ao Importa Fácil Ciência, é a incidência ou não de impostos.
No Importa Fácil Pessoa Física, o cliente pode importar produtos para uso pessoal, desde que em quantidades que não caracterizem destinação comercial. Já no Importa Fácil Pessoa Jurídica, podem ser importados bens para comercialização e amostras.

Agosto 2019

 

Bookmark and Share