Macau vai acolher maior exposição asiática de filatelia

2017-07-12
Fonte: Ponto Final
Foto por: Correios de Macau

O território vai acolher pela primeira vez a Exposição Internacional Asiática de Filatelia, o maior certame do colecionismo filatélico do continente asiático. Os preparativos para a organização do certame, que decorre entre 21 e 24 de setembro do próximo ano, já arrancaram. A organização do certame é da responsabilidade conjunta da Direção dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT) e da Federação Interasiática de Filatelia.

Na Ásia, a paixão pela filatelia tem quase a idade dos serviços postais, mas ganhou um novo fôlego no início da década de 1970. Há quase cinco décadas, um grupo de entusiastas asiáticos e australianos do estudo dos selos postais e de outros objetos filatélicos decidiu criar a Federação Internacional Asiática de Filatelia e o organismo cedo se tornou responsável pela organização e promoção da maior mostra filatélica organizada no continente asiático. O certame – a Exposição Internacional Asiática de Filatelia – decorre pela primeira vez no território no próximo ano.
Organizada em conjunto pela Direção dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT) e pelo Clube Filatélico de Macau, sob a supervisão da Federação Internacional Asiática de Filatelia (FIAP), a mostra vai ser organizada no Centro de Convenções e Exposições do Venetian, entre 21 e 24 de Setembro do próximo ano.
Prakob Chirakiti, presidente da FIAP, associa-se às duas entidades do território nos trabalhos preparatórios enquanto coordenador da exposição. Por se estrear em Macau, a mostra internacional pode fazer com que muitos colecionadores de selos tenham interesse a dar a conhecer as suas “valiosas coleções”: “Acreditamos que o valor total das peças que vão ser expostas em Macau pode chegar aos 100 milhões de dólares americanos, portanto muitas pessoas vão querer participar”, disse ontem aos jornalistas Chirakiti. Oriundo da Tailândia, o responsável está no território para uma visita de dois dias.
No Centro de Convenções e Exposições do Venetian, especialistas e colecionadores oriundos de diferentes regiões vão apresentar selos e peças filatélicas raras, bem como concorrer a vários prémios que só mais tarde serão anunciados. Também vão ser convidados a estar presentes na exposição as autoridades postais de vários países e território da região, bem como comerciantes filatélicos estrangeiros. Do programa da iniciativa fazem ainda parte dias temáticos, palestras, sessões de autógrafos destinadas a designers de selos e oficinas para famílias.
Temos uma sessão com peças raras de colecionadores e outra sessão que é aberta para coleções filatélicas, que poderão assim concorrer a vários prémios”, explicou Derby Lau Vai Meng, Diretora dos Serviços de Correios e Telecomunicações. A responsável revelou também que até setembro do próximo ano – e durante os quatro dias de exposição – será posto em prática um plano, dá definido, de emissões de selos e produtos filatélicos personalizados.
A mais de um ano da Exposição Internacional Asiática de Filatelia, José de Sousa, macaense, diz com certeza que vai ser um dos que vão submeter a concurso parte de uma das mais completas coleções de selos de Macau ainda nas mãos de privados. Em princípio, vai submeter à avaliação do júri a série de etiquetas “Correios mais perto de si”, a primeira alguma vez emitida em Macau e que adquiriu em 1993.
José de Sousa define os selos como objetos “bonitos” e assume o “gosto” em enviar cartas: trocadas tem já mais de mil. Numa altura em que o digital se sobrepõe aos métodos postais tradicionais, José de Sousa considera que a troca de correspondência física continua a fazer sentido: “É uma coisa importante, a gente não só colecionar selos, mas também enviar umas cartas para diferentes partes do mundo para conhecer a filatelia de outros países”.
O Paquistão e a Malásia têm sido dois dos países para onde tem enviado cartas nos últimos tempos por achar que existem “poucos contactos” devido à “dificuldade de trocar cartas com essas nações”: “Eu acho que há muita gente que gosta de selos em Macau, especialmente das etiquetas. Particularmente, as pessoas que colecionam selos ou etiquetas de Macau são na sua maioria oriundas da China. Depois da China, existem agora Taiwan, Hong Kong e inclusivamente da Alemanha, porque tenho amigo que vem precisamente para comprar as etiquetas dos correios daqui”, aponta José de Sousa, colecionador desde há cerca de duas décadas.

Junho 2017

 

Bookmark and Share