Painel "Os correios e encomendas: desafios e oportunidades da transformação digital | novos serviços e otimização da rede postal.”

2017-05-18
Fonte: AICEP
Foto por: ECT - Correios do Brasil

Este painel do XXV Fórum AICEP das Comunicações Lusófonas 2017 teve como Key Note Speaker Diogo Nuno Santos, Associate Partner de Consultoria de Strategy & Operations da Deloitte e como Moderador Carlos Fino, Jornalista, Comunicador, ex-Correspondente Internacional da RTP e anterior Conselheiro de Imprensa da Embaixada de Portugal no Brasil.

Na sua intervenção Diogo Nuno Santos teve a oportunidade de partilhar com todos os presentes o contexto, por um lado, de queda acentuada do correio tradicional/físico e, por outro, de emergência do segmento das encomendas alavancado, sobretudo, no crescimento do comércio online em que os operadores de correio e encomendas atuam, contexto esse que tem evoluído profundamente, transformando a realidade destas empresas. Daí que, no seu entender, os operadores de correio e encomendas deverão capitalizar o digital enquanto enabler da sua competitividade em dois aspetos fundamentais:
• Na sua relação com os clientes e com o mercado (otimizando a sua presença online, capitalizando múltiplos canais; reconfigurando balcões e os serviços aí prestados e transformando a forma de prestação de serviço de last mile), e
• Na otimização dos seus processos internos (capitalizando tecnologias da indústria 4.0; capitalizando o analytics na resolução de desafios de negócio, como sejam o absentismo e os custos com a sua frota).
Referiu, assim, este especialista que os operadores de correios e encomendas deverão aproveitar as oportunidades que o digital cria enquanto fator de disrupção, devendo essa aposta assentar na capitalização dos ativos distintivos de um operador postal, como sejam a confiança e a credibilidade da sua marca e da sua rede. Neste contexto, “vários novos negócios e serviços poderão ser integrados no portfolio dos referidos operadores, como sejam serviços do “carteiro digital” (e.g. comunicação de leituras de contadores; apoio ao domicílio a pessoas necessitadas; cobrança e coleta de dívidas) e gestão de plataformas de serviços digitais (e.g. caixas de correio digital; campanhas de marketing; e-marketplaces)”, disse.

Diogo Santos_Deloitte.pdf
Bookmark and Share