Correios da Guiné Bissau pretendem criar Banco Postal de Poupanças

2015-09-17
Fonte: Agência de Notícias da Guiné
Foto por: AICEP

O Diretor-geral dos Correios da Guiné-Bissau (CGB) afirmou que têm em carteira a criação de um Banco Postal que preste serviços de receção de poupanças financeiras aos seus clientes.

Em entrevista exclusiva à ANG, Filomeno Gomes Cuino acrescentou que o referido projeto inclui serviços de depósito em contas corrente, com rendimento e poupança e outros pacotes de serviços com tarifa mensal única e contratação de cartões tanto de crédito como de débito.
Em relação aos créditos adiantou que serão de curto prazo, isto é, os clientes podem efetuar empréstimos a nível de micro créditos, chegues de garantia, depósitos, vales postais, entre outros.
Segundo Gomes Cuino são serviços que antes eram exercidos pela Caixa Económica Postal e que serão retomados, dentro em breve, pelo futuro Banco Postal.
O Presidente e Diretor-geral dos CGB disse que pensam transformar aquela instituição num Correio Real, que presta serviços eficientes aos clientes.
Referiu que noutras partes do mundo os Correios funcionam como Banco dos pobres, dando exemplos concretos da Inglaterra, onde muitos cidadãos não depositam os seus dinheiros nos bancos comerciais, mas optam por fazer os depósitos das suas poupanças nos correios.
“É este exemplo que estou a pensar transferir para Guiné-Bissau. Fazer os Correios passar a funcionar como tal. Um Correio que represente pelo menos dois por cento da economia nacional e penso que vamos lá chegar” prometeu.
Questionado sobre as expectativas dos guineenses em relação aos Correios, Filomeno Gomes Cuino disse que têm uma missão para com o povo e que passa pelo fornecimento de soluções acessíveis e confiáveis para conectar a população com as prestações dos serviços de que dispõe.
“Os serviços dos Correios hoje não se resumem a cartas e encomendas como antigamente. Atualmente os Correios são um prestador de serviços financeiros para dar mais rendimentos e ganhos às instituições. Por isso temos que ter a confiança e dar segurança aos nossos clientes de que quando entregar alguma encomenda ela vai chegar ao destino”, garantiu.
Filomeno Cuino disse que os novos Correios que pretende vai oferecer mais garantias aos clientes e à população em geral.
Informou que os Correios da Guiné-Bissau contam atualmente com cerca de mil e quinhentos Caixas Apartados, das quais somente 75 por cento estão ocupadas. Afirmou que os utilizadores dessas caixas deixaram somas avultadas de dívidas, estando alguns já a liquidar as suas.
Filomeno Gomes Cuino disse lamentar a situação dos Correios, mas tem esperança num futuro melhor.

Junho 2015

 

Bookmark and Share