António José Teixeira é o novo diretor de Informação da RTP

2020-01-13
Fonte: Espalha Factos/ Comunidade de Cultura e Arte
Foto por: RTP

António José Teixeira, já considerado um resistente na direção de Informação da RTP, na qual entrou em 2016, é o escolhido para agora liderar a estrutura. José Fragoso foi a primeira escolha, mas a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) recusou a acumulação da programação e informação.

O nome do jornalista, que já passou pela SIC Notícias, DN, JN, TSF e Rádio Comercial, é apontado pelo jornal Público como “o mais consensual” dentro da redação. Antes, quando Paulo Dentinho se demitiu, em 2018, Teixeira foi um dos nomes mais apontados como sucessor, mas acabou por ficar como número 2 de Maria Flor Pedroso.
O novo diretor, que também é professor de jornalismo na Universidade Nova de Lisboa (na NOVA FCSH), rodeia-se de uma equipa que só tem nomes da casa. Carlos Daniel é diretor adjunto com a informação (...)

INACOM adia prazo de candidaturas à quarta licença de telecomunicações

2020-01-13
Fonte: Novo Jornal
Foto por: Inacom

O instituto público apresenta como justificação a necessidade de “proporcionar maior exigibilidade ao nível da apresentação de candidaturas” para que as entidades interessadas possam preparar os processos adequadamente.

O Governo realizou várias apresentações internacionais com o objetivo de captar o interesse da parte de grandes operadores nas telecomunicações, depois de o primeiro concurso, em que foi vencedora a angolana Telstar, ter sido anulado porque a empresa “não apresentou resultados operacionais dos últimos três anos, como impunha o caderno de encargos”, segundo um decreto presidencial publicado no dia 18 de abril.
O Presidente da República de Angola, João Lourenço, justificou a decisão com o incumprimento da concorrente em apresentar (...)

Comunicações: Autoridade Reguladora de Moçambique faz balanço de atividades

2020-01-13
Fonte: ARECOM
Foto por: ARECOM

O nosso Governo, através desta Autoridade, tem avançado com esforços conjugados na inclusão dos cidadãos, quer através da massificação das Tecnologias de Informação e Comunicação, quer através da garantia de acessibilidade aos serviços das telecomunicações pelas comunidades”, afirmou Paulo Auade, Governador da Província de Tete, na abertura oficial, da XIII Reunião Anual de Balanço e de Planificação do INCM, a Autoridade Reguladora das Comunicações.

Para reforçar as suas palavras, o timoneiro da província acrescentou que Tete já tem três praças digitais, nos distritos de Angónia, Moatize e cidade capital.
Sentimo-nos, igualmente, honrados com as efetivas ações de fiscalização realizadas pela Delegação de Tete, que têm contribuído grandemente para o combate ao uso ilegal das telecomunicações, às interferências nas comunicações, aos crimes cometidos através de telemóveis, e a outros males originados pelo incumprimento de regulamentos do sector”.
Participaram, (...)

Líderes das Comunicações Lusófonas debateram em Viseu (Portugal) “O Digital e o Futuro dos Negócios”

2019-12-08
Fonte: AICEP
Foto por: AICEP

Realizou-se no Montebelo Viseu Congress Hotel, em Viseu (Portugal), o “Encontro de Altos Dirigentes” 2019 da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP) subordinado ao tema “O Digital e o Futuro dos Negócios”.

Este Encontro reuniu Presidentes, CEO’s, Administradores, Diretores e outros Altos Dirigentes das empresas operadoras de comunicações (correios, telecomunicações e conteúdos de televisão) e dos órgãos reguladores do setor, membros da AICEP, dos 9 Países e Territórios de Língua Oficial Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) que constituem o Universo desta Associação Internacional e potenciou uma vez mais a partilha de conhecimento entre todos os intervenientes, (...)

“Angorascom S.A.” substitui Angola Telecom como a terceira operadora de telefonia móvel

2019-12-08
Fonte: Angola 24h/ LUSA/ODECRETO
Foto por: Angola Telecom

O Governo angolano autorizou a subconcessão dos serviços móveis da Angola Telecom, a terceira operadora do país, à empresa Angorascom Telecomunicações, S.A., segundo um despacho presidencial divulgado no passado dia 08 de novembro.

O despacho, datado de 4 de novembro, não explicita as razões para a autorização “excecional” da subconcessão do serviço móvel da Angola Telecom, referindo-se apenas à necessidade de “garantir a promoção da concorrência na oferta de redes e serviços de comunicações eletrónicas em todo o território nacional”.
A agência Lusa procurou obter dados adicionais sobre a Angorascom e seus acionistas através de uma busca na Internet, mas não encontrou qualquer informação.
Está atualmente a decorrer em Angola um (...)

Correios de Portugal apresentam resultados e soluções no CTT e-Commerce Day

2019-12-08
Fonte: Supply Chain Magazine
Foto por: CTT - Correios de Portugal

Foi durante o CTT e-Commerce Day, que ocorreu no passado dia 9 de novembro, que foi apresentado o relatório sobre a performance do comércio electrónico em Portugal. O e-Commerce Report 2019 apresenta um crescimento de 17% relativamente ao ano passado, atingindo os 5 mil milhões de euros.

Alberto Pimenta, diretor de e-Commerce dos CTT, explica que 2018 apresentou uma percentagem de 46% de compradores eletrónicos e que aos poucos se está a aproximar das médias europeias, que se encontra nos 57%. Segundo o estudo, espera-se que em 2025 o impacto do e-Commerce suba para os 68%.
A exclusividade de marketplaces portugueses ainda se encontra nos 13%, mas os comerciantes têm elevadas expetativas de crescimento na ordem dos dois dígitos nos próximos seis meses.
“No digital, a colaboração é cada vez mais relevante (...)

CTT de Macau presente na 3.ª Conferência Especial da UPU

2019-12-08
Fonte: Direção dos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau
Foto por: Direção dos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau

A 3.ª Conferência Especial da União Postal Universal (UPU) realizou-se entre os dias 23 e 26 de setembro de 2019, em Genebra, Suíça. A Delegação Chinesa, composta pelos representantes dos Correios Nacionais da China, Grupo de Correios da China, Missão Chinesa em Genebra, Correios de Hong Kong e da Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações (CTT) de Macau e chefiada pelo presidente da delegação, Ma Jun Sheng, Director dos Correios Nacionais e pela vice-presidente, Lau Wai Meng, Diretora dos CTT de Macau, participou na conferência.

A conferência especial teve como objetivo principal analisar soluções para a reforma de encargos terminais da União Postal Universal e convocar a Reunião Especial do Conselho de Operações Postais. Os encargos terminais visam compensar os custos decorrentes do tratamento, transporte e distribuição de correspondência transfronteiriça por parte dos operadores postais, tendo os estados-membros discutido sobre várias soluções para a reforma e votado na conferência. A Assembleia-Geral aprovou a autorização para os operadores postais, que satisfazem (...)

Unitel aposta na implementação do 5G em África

2019-12-08
Fonte: ionline
Foto por: Unitel

Isabel dos Santos alertou para a necessidade de um forte investimento no setor da energia em África, para que a rede 5G possa vir a ser uma realidade no continente. “As operadoras de telecomunicações estão ansiosas por implementar a rede 5G, mas, para isso, é preciso haver um forte investimento na energia, tal como aconteceu nas telecomunicações”, afirmou, no âmbito da conferência AfricaCom 2019, que decorre na Cidade do Cabo, na África do Sul.

Em representação da Unitel, a maior operadora móvel em Angola, Isabel dos Santos aproveitou a presença na AfricaCom 2019 – que este ano juntou mais de 450 líderes empresariais e cerca de 15 mil visitantes para o debate sobre tendências e soluções para os desafios tecnológicos da actualidade – para declarar que “gostava de ver um grande investimento privado” no setor, chamando a atenção para as 1,2 mil milhões de pessoas que vivem em África (serão 2,4 mil milhões em 2050) e para a necessidade de ser efectuado “um (...)

Vodacom conta com mais 20 estações de telefonia móvel no centro e norte do país

2019-12-08
Fonte: Txoupela
Foto por: Vanderlei Longo de Pexels

O facto decorre de um acordo que a Vodacom assinou, recentemente, com a Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique (ARECOM). Trata-se de um Contrato de Trespasse para a Prestação de Serviços de Acesso Universal. Graças ao memorando, a Vodacom passa a gerir 20 estações de telefonia móvel existentes no centro e norte de Moçambique. Antes de se passar à Vodacom, as estações estavam sob gestão de uma outra rede de telefonia móvel, a mesma que as instalou. Sucede que o quadro actual revela que diversas estaçōes construídas com base no nanciamento do Fundo do Serviço de Acesso Universal (FSAU) não se encontram operacionais e foi isso que levou a ARECOM a rescindir o contrato com a outra operadora de telecomunicações, convidando a Vodacom a apresentar uma proposta com vista à sua operacionalização.

São estações financiadas pelo FSAU, entidade gerida pela Autoridade Reguladora das Comunicações de Moçambique (ARECOM) e que se dedica ao financiamento de projectos de telecomunicações, sendo que a infraestrutura e equipamentos por si financiados são propriedade do Estado. O Presidente do Conselho Executivo da Vodacom, Jerry Mobbs, manifestou o entusiasmo da empresa pelo facto de se estar a caminhar a passos largos rumo à qualidade de sinal. “Isto mostra o nosso compromisso em fornecer serviços cada vez melhores para os moçambicanos, em geral, (...)

E o serviço público de media, que papel deve ter? (Entrevista ao Presidente do CA da RTP)

2019-12-08
Fonte: Observador
Foto por: RTP

Para ser forte a RTP deve funcionar cada vez mais num ambiente de convergência para as plataformas digitais e deve dispor de políticas de gestão de talento que incentivem o mérito e os resultados.

Os desafios dos media são enormes, são super atuais, são de fácil exposição e difícil resolução, são editoriais e de gestão, são preocupantes, mas ao mesmo tempo fascinantes. Não há soluções mágicas, mas julgo que há premissas essenciais, para começo de conversa: as sociedades abertas e as democracias liberais requerem medias fortes e independentes; a autonomia editorial e a diversidade nas políticas de conteúdos andam de braços dados com a sustentabilidade económica; os cidadãos conseguem valer sempre as suas escolhas individuais sobre (...)